Estatísticas

 

DATA DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO: 18 de Dezembro de 2007

NÚMERO DE MEDIDAS PROTETIVAS/ ANO 2015 : 5.283

 AUDIÊNCIAS REALIZADAS /2015 : Cerca de  460 /mês

VISITAS DOMICILIARES e INSTITUCIONAIS/ 2015: 11/ mês

ENCAMINHAMENTOS: SECRETARIA DO TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL (STDS),ALCÓOLICOS ANÔNIMOS (A.A), CAPS- AD, CAPS GERAL,CENTROS COMUNITÁRIOS ,ESCOLA TÉCNICA PROFISSIONAL DO CEARÁ,GRUPO DE TERAPIA SISTÊMICA,CURSOS PROFISSIONAIS,CADASTRO ÚNICO (BOLSA FAMÍLIA), HABITAFOR; FUNCI; CERAM; CENTRO DE REFERÊNCIA DE ATENDIMENTO Á MULHER FRANCISCA CLOTILDE, CERAM, NARCÓTICOS ANÔNIMOS, Al-ANON; CRAS, SINE, NUAH, RAÍZES DA CIDADANIA, ESPAÇO CRIAR,UNIFOR, MTE, NUASF/ SEJUS, ENTRE OUTROS. 

AÇÕES DESENVOLVIDAS:

 Implantação do  Projeto Ronda Maria da Penha em Parceria com a Polícia Militar do Ceará.

Projeto  Um  Novo Caminhar.

 Divulgação da Lei Maria da Penha: palestras em órgãos públicos; escolas; hospitais, sindicatos, igrejas, fábricas.

 

 Realização de Palestras e  Oficinas  Psicoeducativas  na Rede  Escolar de  Ensino .

Articulação com órgãos governamentais e não-governamentais que trabalham no âmbito das políticas públicas de enfrentamento à violência contra a mulher.

 Atendimentos individuais de promovente e promovido.

Acolhimento às mulheres usuárias do Juizado.

Encaminhamentos à rede sócio-assistencial  municipal e estadual.

Atendimento à demanda espontânea.

Acompanhamento de casos específicos ou com maior complexidade.

Reunião de planejamento e avaliação das atividades.

   Grupo Reflexivo direcionado  às mulheres em parceria com o Centro Municipal Francisca Clotilde.

 As pessoas envolvidas na relação violenta devem ter o desejo de mudar. E por esta razão que não se acredita numa mudança radical de uma relação violenta, quando se trabalha exclusivamente com a vítima. Sofrendo esta algumas mudanças, enquanto a outra parte permanece o que sempre foi, mantendo seus hábitos, a relação pode, inclusive, torna-se ainda mais violenta. Todos percebem que a vítima precisa de ajuda, mas poucos vêem esta necessidade no agressor. As duas partes precisam de auxílio para promover uma verdadeira transformação da relação violenta.” (Saffioti)

 Mulher é vida. Sua dignidade merece respeito!!!